Schedules and Box Office
  •  
     
    MOSTRA INTERNACIONAL DE TEATRO - CASA ROSMER
    May 3 e 4, 2023
  • Programa
  • Wednesday - 21:30
    Thursday - 19:00
    Main Room
    M12
    8€ | Passe geral: 50€
     
    Passe geral - Comprar

    Co-produção AKRÒAMA / CTB – Companhia Teatro de Braga

    O espectáculo será sempre o que dele se observar. A palavra mata! E as palavras em Ibsen são perigosas, porque são sempre ditas em situação de risco de morte, de rutura iminente, como o salto num abismo. De Ibsen já tudo se escreveu, depois de Lou Andreas-Salomé, essa mulher liberta e libertadora ter dedicado um profundo estudo psicanalítico às suas personagens femininas. Sobre Ibsen e com Ibsen, tem o Akroama e a CTB feito um caminho nestes últimos 4 anos, dos cerca de vinte anos que caminhamos juntos. A Casa dos Rosmer é um hino radical ao Amor e à Liberdade sem fronteiras, que traga espírito e carne. Uma trajetória fulminante da Vida, contra a Morte! É um drama de rutura contra o naturalismo da época. Não pretende ser uma vernissage museológica com tiques cosmopolitas e suspiros contidos duma pequena burguesia falida. É antes o prenúncio evidente da tragédia do nosso quotidiano que de tão míopes que andamos nos recusamos a ver. Uma performance trágico-cómica tão alucinante como a vida que vivemos, na luta contra o tempo, contra a corrente, na contra-mão da vida, no suspense da nossa insegurança, na corrida para a farmácia, no engolir das notícias, na fila para o psiquiatra e a psicanálise. Na sociedade do espectáculo e do supérfluo pouco nos resta para lá da máscara com que nos escondemos para sair da Casa e, por vezes, quando chegamos, já nem força temos para a tirar. Habituamo-nos! Ibsen e os da sua igualha, percebeu isso muito antes de nós e deixou-nos este material, que mais não é, que uma espécie de Hino à Liberdade, composto por Nietzsche, num poema de Lou Andreas, enquanto klimt pinta e Freud observa. A CASA existe e fala! E se não tivermos atenção, seremos as fotografias antigas com manchas de bolor pendurados nas paredes. A Palavra mata! E por isso o diretor do espetáculo pede ao estimado público - porque é sempre a pensar nos públicos (e, por vezes, não!) que os artistas trabalham – para virem assistir a um “bocado da vida” destas atrizes a atores. Eles merecem! E cada espectador não dará por perdido o tempo, que também é seu.

    Autor: Henrik Ibsen
    Tradução: Rui Madeira
    Encenação e dramaturgia: Rui Madeira
    Figurinos e cenografia: Manuela Bronze
    Assistente de direcção: Naika Sechi
    Direcção técnica: Lele Dentoni
    Assistente de figurinos e cenografia: Patrizia Vacca e Marita Balazas
    Costureira: Marita Balazas
    Assistente técnico: Nicola Pisano
    Fotografia: Francesca Mu
    Elenco: Simeone Latini, Julia Pirchl, Nunzio Caponio,  Tiziana Martucci, Giuseppe Boy, Stefano Cancellu
Wednesday - 21:30
Thursday - 19:00
Main Room
M12
8€ | Passe geral: 50€
 
Passe geral - Comprar

Co-produção AKRÒAMA / CTB – Companhia Teatro de Braga

O espectáculo será sempre o que dele se observar. A palavra mata! E as palavras em Ibsen são perigosas, porque são sempre ditas em situação de risco de morte, de rutura iminente, como o salto num abismo. De Ibsen já tudo se escreveu, depois de Lou Andreas-Salomé, essa mulher liberta e libertadora ter dedicado um profundo estudo psicanalítico às suas personagens femininas. Sobre Ibsen e com Ibsen, tem o Akroama e a CTB feito um caminho nestes últimos 4 anos, dos cerca de vinte anos que caminhamos juntos. A Casa dos Rosmer é um hino radical ao Amor e à Liberdade sem fronteiras, que traga espírito e carne. Uma trajetória fulminante da Vida, contra a Morte! É um drama de rutura contra o naturalismo da época. Não pretende ser uma vernissage museológica com tiques cosmopolitas e suspiros contidos duma pequena burguesia falida. É antes o prenúncio evidente da tragédia do nosso quotidiano que de tão míopes que andamos nos recusamos a ver. Uma performance trágico-cómica tão alucinante como a vida que vivemos, na luta contra o tempo, contra a corrente, na contra-mão da vida, no suspense da nossa insegurança, na corrida para a farmácia, no engolir das notícias, na fila para o psiquiatra e a psicanálise. Na sociedade do espectáculo e do supérfluo pouco nos resta para lá da máscara com que nos escondemos para sair da Casa e, por vezes, quando chegamos, já nem força temos para a tirar. Habituamo-nos! Ibsen e os da sua igualha, percebeu isso muito antes de nós e deixou-nos este material, que mais não é, que uma espécie de Hino à Liberdade, composto por Nietzsche, num poema de Lou Andreas, enquanto klimt pinta e Freud observa. A CASA existe e fala! E se não tivermos atenção, seremos as fotografias antigas com manchas de bolor pendurados nas paredes. A Palavra mata! E por isso o diretor do espetáculo pede ao estimado público - porque é sempre a pensar nos públicos (e, por vezes, não!) que os artistas trabalham – para virem assistir a um “bocado da vida” destas atrizes a atores. Eles merecem! E cada espectador não dará por perdido o tempo, que também é seu.

Autor: Henrik Ibsen
Tradução: Rui Madeira
Encenação e dramaturgia: Rui Madeira
Figurinos e cenografia: Manuela Bronze
Assistente de direcção: Naika Sechi
Direcção técnica: Lele Dentoni
Assistente de figurinos e cenografia: Patrizia Vacca e Marita Balazas
Costureira: Marita Balazas
Assistente técnico: Nicola Pisano
Fotografia: Francesca Mu
Elenco: Simeone Latini, Julia Pirchl, Nunzio Caponio,  Tiziana Martucci, Giuseppe Boy, Stefano Cancellu
Other shows
June 2, 2023 / Music
GISELA JOÃO
MoreMore
June 3, 2023 / Music
MARO
MoreMore
June 5, 2023 / Movies
TENHO SONHOS ELÉCTRICOS
MoreMore
All shows
Seta Submit Seta Email Facebook Facebook Twitter Instagram Pintrest Vimeo Yootube Soundcloud Soundcloud Soundcloud
The use of cookies at Teatro Circo de Braga’s website serves only to register the language chosen by the user and to verify if the user accepted the cookie. If you continue to use this website, it is assumed that you accept these cookies.