Schedules and Box Office
  •  
     
    ZZ – Jazz no Eixo - LAN TRIO - LAGINHA, ARGUELLES & NORBAKKEN
    July 11, 2021
  • Programa
  • Sunday
    21:00
    Main Room
    M6
    7 €
    Cartão Quadrilátero
    3,5 €
    A Edition Records lançou um muito aguardado álbum do LAN Trio com um dos pianistas mais amados e respeitados da nossa música no elenco. De seu nome Atlântico, este disco traz a leveza da água salgada estival, com os perfumes das terras que o homónimo oceano banha. Encontramos África nos ritmos persistentes, metronómicos e soltos de Helge Andreas Norbakken, emulando as mãos e os diferentes paus diretamente nas peles, criando uma ambiência a espaços quase tribais, mas também as cadências mais sofisticadas, com diversas percussões, madeiras e metais, surpreendendo o ouvido e o pezinho que não resiste a acompanhar a melodia. Esta fundo rico e complexo casa na perfeição com a elegância da abordagem de Mário Laginha ao teclado, combinando algum vigor nas repetições ao lado dos desvarios de Norbaken e com os silêncios espaçados à medida do virtuosismo do sopro de Julian Argüelles. O saxofonista, entre os timbres do barítono e do tenor, dá asas ao trio, com harmonizações directas temperadas de suaves tangentes aos temas, repletas de assomos à imaginação e à criatividade, sem receio de vazios lentos ou de relâmpagos rápidos e marcados, numa coesão mais bem apreendida no todo do álbum. É jazz seguro e belo, onde o desafio é encontrar e abraçar o cariz quase ecuménico e inclusivo das escolhas sónicas e dos caminhos trilhados. Um trio que funciona como uma unidade musical prolífica e coesa, capaz de tornar o jazz viciante, algo cada vez mais raro para qualquer estilo musical. Um dos grandes álbuns de 2020 chegou ainda a tempo para ajudar a salvar o que dele (e de nós) resta. Ouçamo-lo sem parcimónia.
Sunday
21:00
Main Room
M6
7 €
Cartão Quadrilátero
3,5 €
A Edition Records lançou um muito aguardado álbum do LAN Trio com um dos pianistas mais amados e respeitados da nossa música no elenco. De seu nome Atlântico, este disco traz a leveza da água salgada estival, com os perfumes das terras que o homónimo oceano banha. Encontramos África nos ritmos persistentes, metronómicos e soltos de Helge Andreas Norbakken, emulando as mãos e os diferentes paus diretamente nas peles, criando uma ambiência a espaços quase tribais, mas também as cadências mais sofisticadas, com diversas percussões, madeiras e metais, surpreendendo o ouvido e o pezinho que não resiste a acompanhar a melodia. Esta fundo rico e complexo casa na perfeição com a elegância da abordagem de Mário Laginha ao teclado, combinando algum vigor nas repetições ao lado dos desvarios de Norbaken e com os silêncios espaçados à medida do virtuosismo do sopro de Julian Argüelles. O saxofonista, entre os timbres do barítono e do tenor, dá asas ao trio, com harmonizações directas temperadas de suaves tangentes aos temas, repletas de assomos à imaginação e à criatividade, sem receio de vazios lentos ou de relâmpagos rápidos e marcados, numa coesão mais bem apreendida no todo do álbum. É jazz seguro e belo, onde o desafio é encontrar e abraçar o cariz quase ecuménico e inclusivo das escolhas sónicas e dos caminhos trilhados. Um trio que funciona como uma unidade musical prolífica e coesa, capaz de tornar o jazz viciante, algo cada vez mais raro para qualquer estilo musical. Um dos grandes álbuns de 2020 chegou ainda a tempo para ajudar a salvar o que dele (e de nós) resta. Ouçamo-lo sem parcimónia.
Other shows
December 6, 2021 / Movies
O Amigo da Minha Amiga
MoreMore
December 9 e 10, 2021 / Theater
UM DOIS TRÊS!
MoreMore
December 11, 2021 / Music
TERESINHA LANDEIRO
MoreMore
All shows
Seta Submit Seta Email Facebook Facebook Twitter Instagram Pintrest Vimeo Yootube Soundcloud Soundcloud Soundcloud
The use of cookies at Teatro Circo de Braga’s website serves only to register the language chosen by the user and to verify if the user accepted the cookie. If you continue to use this website, it is assumed that you accept these cookies.